NOSSOS AMANTES, o filme para leitores assíduos

Existem filmes, que de tão mágicos, poderiam ser livros. Nossos Amantes (Nuestros Amantes, no original) é um desses. Produção espanhola e lançada na plataforma Netflix, é a comédia romântica perfeita para todo os enamorados por literatura e lhes digo porquê: tudo começa com um encontro ocasional em uma livraria - o que, acredito eu, ser o sonho de muitos. 
Um homem e uma mulher desiludidos no amor se conhecem no bar de uma livraria e começam a namorar, mas somente lá - sem saber nada um do outro.
Não tinha muitas expectativas quanto ao filme. Comecei assistir assim que lançado no Netflix e não passei dos primeiros cinco minutos. Um erro ou um acerto. Talvez não fosse a hora certa de assistir, talvez, se tivesse continuado, teria parado na metade ou até mesmo antes dela e nunca mais prosseguido. Decidi dar uma segunda chance no último feriado e, para minha surpresa maior, me vi completamente envolvida pela história. Deixei de lado as mensagens que não paravam de apitar no celular e me rendi a esse romance meigo, inteligente, adulto e sonhador - embora, para muitos, adulto e sonhador sejam palavras que não caminham lado a lado.

O primeiro ponto interessante de Nossos Amantes é a forte presença de referências literárias. A história não só começa em uma livraria, como apresenta um casal apaixonado por literatura e que não passa um minuto sem mencionar Charles Bukowski e Truman Capote. O filme tem ar e gosto de livro. É como se alguém estivesse lendo um para mim.
Trata-se de um romance maduro, entre uma mulher na faixa dos trinta e um homem em seus quarenta. Seus diálogos são inteligentes, apesar de carregados de problemas que a idade e a vida os permite ter. O filme todo gira em torno de conversas, questionamentos que nos faz questionar. Acompanhá-las, é o que o torna tão gostoso de assistir. O equilíbrio é mantido com cenas leves, românticas porém não tão românticas, o que é algo que muito me agradou. Não é somente uma história de amor, mas também de experiências e decepções amorosas.
— E agora, a grande pergunta. O que você quer ser quando crescer?
— Quero continuar sonhando. Mesmo que eles não se realizem, quero continuar sonhando.
 — Que sonhos você tem agora?
 — Não tenho dinheiro e meu coração está partido. Meu sonho é ser um pouco feliz. Sou muito ambiciosa?
Os cenários são maravilhosos. É cada cena linda em jardins, parques, ruas, cafeterias! Sem sombra de duvidas, o cenário é um elemento essencial para tornar esse filme tão adorável. Para ficar bem equiparado, a trilha sonora não fica atrás em momento algum. 

Se tivesse de descrever Nossos Amantes em uma única palavra, seria leveza. Tudo parece estar em perfeito equilíbrio, resultando em um romance encantador que foge do clichê. É o filme perfeito para assistir debaixo da coberta naquele dia frio e nublado. Ideal, também, para você, leitor assíduo. 

Share:

1 pessoas devoraram

  1. Fascinante, diálogos inteligentes, instigantes, com uma temática atual. Disse bem: existem filmes, que de tão mágicos, poderiam ser livros.Foi isso que eu vim parar aqui. Sou um romântico incurável, assisti ao filme, depois de tomar o café da manhã e fui até à praia, onde cheguei pelas 11. Acredite, fiquei andado à beira mar e às 19, a noite, apareceu de repente, esbarrando comigo. Desde as onze às dezanove, sem comer, andando, sentando e pensando no filme, não senhora, em mim não havia reminiscências de tempos passados. Analisava o texto, pensava na minha juventude, no que escrevi, em minhas namoradas, o cérebro fervendo. Cheguei a casa, comi algo, logo me veio uma ideia. O filme deve ser originário de um livro, o escritor deve ter escrito outros (eu escrevi 18), tão interessantes quanto, vou saber quantos. De repente esbarro-me com você. A figura de neta que eu gostaria de ter.Eu tenho quase 80, sou escritor e tenho um neto, quase da sua idade (13), que já escreveu um livro. Desculpe, só entrei à procura de livros. Obrigado!

    ResponderExcluir