No Carnaval de 2017, fui à Salvador, capital da Bahia. Estando lá, o que eu mais queria, como toda pessoa apaixonada por literatura - em especial, a brasileira -, era conhecer a Fundação Casa Jorge Amado. Localizada no coração do Pelourinho, a fundação em homenagem ao consagrado escritor baiano é tranquila e bastante convidativa. Para os interessados em literatura, é um passeio super recomendável e agradável. 

É necessário pagar R$5 (valor de Fevereiro/2017) para entrar. A casa tem três andares, com dois acessíveis ao público. No dia em que fui, a fachada principal estava em obras, portanto, o acesso para a fundação se dava pela lateral. Sei que, em determinados dias, é possível fazer visita guiada. Porém, não foi o meu caso. Sendo assim, optei por começar pelo segundo andar. 

No segundo andar, temos a vida e a obra de Jorge Amado. Nas paredes, seus livros são apresentados por ordem cronológica, com breve explicações sobre a vida de Amado, pequenas menções à história do Brasil no então período, e por vezes, o processo de escrita do autor. As capas dos livros também são mostradas. 

Algumas obras estão expostas em seu formato físico e em diversas edições, tendo um espaço dedicado até mesmo às edições internacionais de suas obras - Jorge Amado em japonês à alemão. É também no segundo andar que o visitante pode se sentir um pouquinho mais próximo de Jorge Amado, já que é lá que a máquina de escrever usada pelo mesmo está exposta. 

Além disso, as grandes janelas do segundo andar dão ao visitante uma visão magnífica do Pelourinho! É um lugar ótimo para tirar fotos em dia de sol. A primeira foto deste post foi tirada lá.

No térreo, é onde fica o Café-Teatro Zélia Gattai, um café super aconchegante e com uma pequena exposição sobre Zélia Gattai, esposa de Jorge Amado e também escritora. É bem legal conhecer um pouquinho mais da relação dos dois. 

Fora o café, há também uma lojinha com produtos relacionados ao universo amadiano e a cultura do estado da Bahia. Não somente livros, mas também camisas, bonés, chinelos, etc. Quanto aos livros, achei o preço um pouco salgado. Sai mais barato comprar por lojas virtuais ou pesquisar em livrarias físicas. No entanto, se você quiser ajudar a instituição a se manter, é válido comprar por lá. 

Ainda no térreo, temos algumas citações do escritor espalhadas - inclusive, uma sobre o Pelourinho e seu valor histórico. Gostei bastante da ideia e acho que ficou bem legal, reflete bem as ideias do autor quanto ao local, além do valor que o mesmo dava à cultura da Bahia. 


Saí da Fundação com vontade de ler mais Amado, pois até então só havia lido Capitães de Areia. Em suma, é um passeio bastante agradável e rápido, levando em conta que são somente dois andares. Vale muito mais do que o valor de entrada, além de estar ajudando a cultura de nosso país a se manter por mais tempo. Recomendo a todos os apaixonados por literatura a darem uma passada por lá caso estejam de visita à Salvador!

Em todos os cantos da Fundação, há a seguinte frase: se for de paz, pode entrar. Pois então, se for de paz, vá visitar e se apaixonar um pouquinho mais pelo escritor mais Amado de todos

LOCAL: Largo do Pelourinho, Salvador - BA
FUNCIONAMENTO: Segunda a sexta, de 10h às 18h. Sábado, 10h às 16h.

Um Comentário

  1. Realmente um lugar pequeno, porém aconchegante. Muito legal ver como as ideias para um livro iam surgindo na cabeça de Amado. Vale a visita.

    ResponderExcluir