O AMOR NOS TEMPOS DO OURO, de Marina Carvalho

Os romances históricos unem duas paixões minhas: o romance e a História. Apesar de ser apaixonada pelo gênero, envergonhadamente admito que os únicos que li se passavam em terras britânicas. Com todo aquele ar pomposo da famosa Terra da Rainha, era difícil não me ver entretida e suspirando por todos os duques com sobrenomes diferentes. Até que chegou as minhas mãos um dos últimos livros publicados por Marina Carvalho - uma de minhas escritoras favoritas -, O amor nos tempos do ouro, e então fui transportada para o Brasil colônia, para ler sobre a minha própria história. 
Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida para o Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginara. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. 
Brasil colônia não é o meu período preferido da História de nosso país. Talvez, um livro cujo cenário fosse qualquer outro a partir de 1808 teria me interessado mais. A questão é: mineração nunca foi meu forte. Apesar disso, O amor nos tempos do ouro conseguiu realizar um quase milagre: me fazer gostar desse período histórico. A narrativa leve e fiel à História fez com que eu a visse diante de meus olhos e não em uma simples sequência de fatos como nos livros escolares. Esse romance histórico foi recentemente adotado como leitura obrigatória em algumas escolas do país e eu entendo o motivo. É possível aprender com ele, de forma fácil e divertida.

Dito isso, passemos para a história em si. Marina Carvalho tem uma escrita particular. Posso pegar um livro qualquer na estante, sem olhar o autor, e só pela escrita, saberei que se trata de um de seus livros. É uma característica tão particular e simultaneamente tão presente em todos os seus livros, que chega ser difícil de descrever com clareza. Isso é algo bom, único, talvez raro.

A narrativa de O amor nos tempos do ouro é gostosa, flui maravilhosamente bem, sem apressar os acontecimentos. O modo com que a história é contada ao leitor colabora para que isso aconteça. Ora temos a honra de ler partes do diário de Cécile e conhecer um pouco mais de seus sentimentos, ora temos o privilégio de ler cartas de Fernão. Isso, é claro, sem se esquecer dos momentos, em sua grande maioria, em que o narrador em terceira pessoa traz o leitor para si e o redemoinho de acontecimentos. Outro ponto positivo que torna a leitura ainda mais prazerosa são os poemas a cada início de capítulo, muito bem escolhidos para se mesclarem e darem uma pequena prévia do que está por vir. Alguns poemas já eram conhecidos meus das maravilhosas aulas de Literatura que tive, enquanto outros eram novos e me deixaram encantada. De Fernando Pessoa à Castro Alves.

Cécile Lavigne é uma personagem forte e com ideias à frente da maioria das mulheres da colônia. Ainda sim, é possível sentir uma certa imaturidade por parte da principal ao início do livro. Um tom malcriado, adolescente. Tais atitudes nos permitem reconhecer seu progresso ao decorrer da história. Fernão é outro que muda conforme os capítulos vão se passando. De uma natureza fria e impassível, vamos, aos poucos, conhecendo um pouco mais de seu lado doce. Os personagens secundários não ficam atrás e carregam tanta história em sua construção e diálogos quanto os principais. Impossível não simpatizar com eles - mas deixemo-os para uma resenha futura, quando o livro dedicado exclusivamente a esses personagens for lançado.

A autora realmente se prontificou a manter a História viva. É justamente isso que torna esse livro sensacional. São inúmeros os momentos durante a leitura em que os ensinamentos saem das páginas para ganhar espaço no mundo do leitor. O amor nos tempos de ouro é um romance histórico que está muito longe de ser raso e que não mede esforços para mostrar como certas formas de pensar perseguem e permanecem vivas em nossa sociedade. Apesar disso, ainda encontramos um romance meigo de caráter jovial para balancear. Uma chance do leitor se desapegar dos duques ingleses de sobrenomes esquisitos e aproveitar um pouco do que, de fato, é seu.

Título: O amor nos tempos do ouro
Autor(a): Marina Carvalho
Editora: GloboAlt
Número de páginas: 328
Nota: 5/5

Share:

2 pessoas devoraram

  1. Oii!

    Fiquei curiosa com essa leitura!!!

    beijos

    www.mecontanoblog.com

    ResponderExcluir
  2. Eu vi esse livro no fim do ano passado na livraria, mas não comprei porque era Brasil Colônia e eu acho que o país só fica interessante a partir da vinda da família real. Você é uma boa advogada da obra, vou conferir a escrita da Marina Carvalho. Tá anotado!

    ResponderExcluir