Últimas leituras de 2015!

Eu gostaria muito de fazer um post separado para cada livro, mas devido a motivos pessoais, me vi obrigada a fazer uma resenha quádrupla. Mas Rebecca!, por quê? Eu estava viajando e li os quatro livros mencionados durante a véspera ou na própria viagem, e é claro que fiquei internet nesse período. Portanto, não tive outra opção. Sinto muito pela qualidade das resenhas a seguir, tentarei ser um pouco mais organizada. 

DESAPARECIDAS - LAUREN OLIVER
Em 2013, li o meu primeiro livro da Lauren Oliver e resenhei aqui no blog - uma das postagens mais populares, por sinal. Apesar de tal livro não ter sido tudo que eu esperava, decidi dar mais uma chance a autora através de seu último lançamento, Desaparecidas. Durante a leitura, eu desapareci das redes sociais, literalmente, pois não conseguia parar de ler. Assino embaixo quando dizem que Lauren Oliver está em sua melhor forma, pois, de fato, está. Desaparecidas é um thriller psicológico que não se assemelha em nada com outros livros do gênero. 
As irmãs Dara e Nick eram inseparáveis, mas isso foi antes - antes de Dara beijar Parker, antes de Nick perdê-lo como melhor amigo, antes do acidente que deixou cicatrizes no belo rosto de Dara. Agora as duas, que eram tão próximas, não estão mais se falando. Em um instante Nick perdeu tudo, e está determinada a usar o verão para conseguir sua vida de volta. Só que Dara tem outros planos. Quando ela desaparece, no dia de seu aniversário, Nick acha que a irmã está se divertindo por aí. Mas outra garota também sumiu - Madeline Snow, de nove anos - e, conforme Nick procura pela irmã, fica cada vez mais convencida de que os dois desaparecimentos podem estar conectados. 
O livro é narrado de múltiplas formas - do ponto de vista de Dara, Nick, passado, presente, postagens em sites de notícias, etc. Isso possibilita ao leitor uma visão mais ampla da história e a facilidade com que a autora conseguiu manter tudo conectado - como, por exemplo, as ligações entre as recordações das irmãs e o presente - é incrível. Além disso, a narrativa não se perde na monotonia, o leitor que se prepare para a montanha russa de emoções. 

Dara e Nick são dois opostos. E Dara é o oposto que eu, particularmente, desgosto. É uma personagem difícil de lidar e facilmente julgável, mas apesar dos pesares, Lauren Oliver trabalhou a personagem de forma única e delicada, como sua situação exige. 

Desaparecidas te deixará boquiaberto! Trata-se de um livro espetacular e que entrou fácil-fácil na lista das melhores leituras de 2015, fechando o ano com chave de ouro. Que Lauren Oliver continue escrevendo livros assim, por favor! 

INFINITO + UM - AMY HARMON
Foi impossível não me sentir seduzida por essa capa, com todo esse ar de country music e romance. E eu estava certa: tem country e muito romance nesse livro. Amy Harmon é um nome que foi muito comentado no último ano e até tenho um livro da autora na minha estante, mas não tive tempo de ler. Comecei a leitura cheia de expectativas, mas, infelizmente, Infinito + um me decepcionou um pouco. 
Bonnie Rae Shelby é uma estrela da música. Ela é rica, linda e incrivelmente famosa. E quer morrer. Finn Clyde é um zé-ninguém. Ele é sensível, brilhante e absurdamente cínico. E tudo o que ele quer é uma chance na vida. Estranhas circunstâncias juntam o garoto que quer esquecer o passado e a garota que não consegue enfrentar o futuro. Tendo o mundo contra eles, esses dois jovens, tão diferentes um do outro, embarcam numa viagem alucinante que não só vai mudar a vida de ambos, como pode até lhes custar a vida. 
Infinito + um conta com uma boa temática, no entanto, meu maior problema com a história é o modo com que a mesma foi conduzida e seus personagens. Bonnie e Finn é um casal óbvio - não que isso me incomode, claro -, mas que não me convenceu. É estranho falar em convencimento quando não estamos vendo-os, como em um filme, mas seus momentos mais românticos não despertaram nenhuma reação em mim. Como ambos são personagens de temperamento forte, a autora poderia ter balanceado a narrativa, desenvolvendo-a com maior leveza. Porém, me deparei com uma narrativa por vezes dramática e forçada, que não estimulava o leitor a prosseguir. 

Finn é um admirador da matemática e inúmeras vezes a utiliza de forma metafórica. Ao meu ver, essas foram as melhores partes do livro. Não sou boa em matemática, mas a forma com que a autora a transformou em uma ponte entre equações complicadas e a jornada de seus personagens deixou tudo mais interessante. Certas explicações, com as quais me deparei no colégio, só fizeram sentido quando li esse livro. 

Infinito + um é um livro que tinha muito a oferecer, mas que se perdeu no decorrer dos acontecimentos. Apesar disso, entretém. Recomendo a todos que gostaram de Beleza Perdida, livro de Amy Harmon que foi lançado há algum tempo atrás. 

SANGUE NA NEVE - JO NESBO
Adoro conhecer a literatura de outros países, é ótimo para saciar minha curiosidade. Jo Nesbo é norueguês e escritor best-seller. Pronto, isso foi suficiente para me deixar com vontade de ler. O fato de se tratar de um thriller policial só me deixou ainda mais curiosa!
Olav tem apenas um talento: matar pessoas a sangue frio. Não há nada que ele preze mais que ter o poder sobre a vida e a morte. Porém, sua natureza sensível é proporcional às suas habilidades como matador de aluguel. Uma vez tentou roubar bancos, mas não deu certo - ele se sentiu tão culpado que foi visitar uma das vítimas no hospital. Ele leva ma vida solitária em Oslo até se ver envolvido em um trabalho importante para um dos mais perigosos chefes do crime organizado na cidade, Daniel Hoffman. Ao aceitá-lo, Olav finalmente conhecer a mulher da sua vida, mas logo se depara com dois problemas. O problema é que ela é a esposa do chefe. E o segundo é que ele foi contratado para matá-la. 
O que mais me surpreendeu em Sangue na neve não foram as reviravoltas capazes de deixar qualquer leitor louco, mas a escrita de Jo Nesbo. O autor, de forma simplista e envolvente, desenvolveu muitíssimo bem um thriller policial e ainda mais, em poucas páginas, sem enrolações e indo direto ao ponto. Nesbo faz parecer fácil escrever e isso só mostra o quão talentoso é. 

O mistério em si deixa a desejar, um tanto quanto fraco demais. Particularmente, prefiro romances policiais que fazem o leitor quebrar a cabeça. No entanto, como disse anteriormente, trata-se de um livro envolvente. Então, apesar de não atender as minhas expectativas, Sangue na neve merece a leitura, que certamente não durá mais de um dia - são somente 154 páginas!

O APRENDIZ - TARAN MATHARU
Um livro de fantasia sempre cai bem nas férias. O aprendiz, primeiro livro da série Conjurador, foi a minha aposta. 
Fletcher é um órfão de 15 anos e, para sua surpresa, conseguiu invocar um demônio do quinto nível. O problema é que apenas os nobres deveriam ser capazes de conjurar criaturas e usá-las na guerra contra os orcs. Mas plebeus como Fletcher também podem ser conjuradores, e o garoto consegue uma vaga na Academia Vocans, uma escola de magos que prepara seus alunos para os campos de batalha. Lá, ele irá enfrentar o bullying dos nobres, mas também aprenderá feitiços e fará amigos incomuns, vomo anões e elfos. Além de se provar digno de uma boa patente na guerra, Fletcher e seu grupo de segregados precisam se unir e vencer o preconceito que sofrem na desigual sociedade de Hominum. 
O aprendiz passou muito longe das minhas expectativas. Já havia lido que a história é uma mistura de Harry Potter, O senhor dos anéis e Pokémon, mas não acreditava que tais influências estivessem tão presentes na historia ao ponto de tais semelhanças incomodarem - principalmente as com Harry Potter. Isso tornou o livro extremamente previsível e desanimou a leitura. O autor poderia ter explorado mais sua imaginação para trazer algo novo. A ideia de conjuradores é ótima, por isso me senti decepcionada. No fim, foi como se estivesse lendo uma fanfic

Com relação a narrativa, sinto que ficou faltando algo. Não sei dizer ao certo se o que falta é riqueza nos detalhes ou amadurecimento da escrita de Taran Matharu, ambos são fatores que considero essenciais em uma boa história. 

É um livro capaz de agradar a um grande público - e certamente o fará. Os volumes seguintes serão lançados em breve no Brasil. Apesar dos pontos negativos que mencionei, estou ansiosa pelo próximo livro. Acredito que a escrita do autor terá amadurecido e que podemos contar com um grande progresso tanto de sua parte, quanto por parte da história. Fãs de fantasia, leiam! 

Share:

0 pessoas devoraram