Em tempos de adaptações, não é só Cinderela que tem feito um tremendo sucesso. Não, nem pensar! Muitos outros contos de fadas estão voltando às telas em formatos diferentes e repaginados. A tendência é que isso continue acontecendo e que cada vez mais os contos de fadas percam o seu esteriótipo de "infantil" para agradar a um público de todas as idades. Sabendo disso, preparei um post super especial com as adaptações mais conhecidas de um conto de fadas que é - como a grande maioria - mágico, e no qual eu me identifico muito com a personagem principal por um motivo: livros. Já sabem de qual conto estou falando, não é? Sim, A Bela e a Fera!

A Bela e a Fera foi escrito originalmente pela francesa Grazielle-Suzanne Barbot em 1740, mas a sua versão mais conhecida foi lançada somente 16 anos depois por Jeanne-Maria LePrince de Beaumont, que adaptou a obra e encurtou-la. O interessante é que ambas as versões retratam momentos culturais e sociais diferentes. Eu li a versão de Jeanne-Maria em uma coletânea e me surpreendi por ser um tanto diferente da história que estava acostumada, embora a diferença se resumisse somente em detalhes. Recomendo aos interessados!

Vamos as adaptações?


La Belle et la Bête, em seu título original, é uma adaptação franco-alemã lançada em 2014. O filme chegou a ser lançado no Brasil, mas até hoje não vi muita repercussão. Ainda não o assisti, mas vagando pela internet, encontrei umas imagens que me deixaram perplexa e curiosa. A arte e o cenário parecem ser tão ricos e belos quanto a própria história! 

Nesta adaptação, a família de Bela vai a falência e é obrigada a se mudar para o campo. Certo dia, o pai de bela arranca uma flor do jardim de um palácio encantado e é condenado à morte pelo dono do mesmo: um monstro. Bela decide viver no palácio com esta fera em troca da liberdade de seu pai, desfrutando de uma vida cheia de luxo e descobrindo cada vez mais sobre o passado da fera. 


Beastly, lançado no Brasil sob o título de A Fera, é um filme americano de 2011 que conta com Vanessa Hudgens e Alex Pettyfer no elenco. O filme é baseado no livro de mesmo nome escrito por Alex Flinn e conta uma versão mais moderna do clássico. Já vi o filme passando na tevê paga algumas vezes, mas em todas elas o filme estava justo no final. 

Kyle Kingson é um jovem que tem tudo, mas que carrega consigo uma personalidade cruel e perversa. Após humilhar uma colega de classe, ele é amaldiçoado e acaba se tornando tudo aquilo que mais despreza. Para reverter a maldição, é preciso que alguém se apaixone por ele. Nesse momento, o pai de Kyle mando-o para viver no Brooklyn e lá ele conhece Lindy Taylor, uma garota capaz de reverter a situação. 


É claro que a série americana Once Upon A Time não podia deixar o conto de A Bela e a Fera de fora! A série é conhecida por mesclar vários contos de fadas em uma única história e o resultado é esplêndido e surpreendente. A versão do conto apresentada na série é certamente uma das minhas adaptações favoritas. 

Na série, a Fera é Rumpelstiltskin, outro personagem de conto de fadas. Embora apaixonado por Bela, ele não assume seu amor pela mesma no primeiro momento por medo de perder seu ar monstruoso e seu papel de criatura mais poderosa dos contos de fadas. 


O canal americano CBS parece ser um grande fã de A Bela e a Fera. Em menos de cinquenta anos, já produziu duas séries baseadas no conto. A primeira delas, Beauty & the Beast, foi lançada em 1987 e foi até 1990, contando com três temporadas. 

O foco da série é no relacionamento entre o mítico Vincent, fera, e a promotora pública novaiorquina, Catherine, mostrando a divisão entre Nova York e o mundo oculto. 


A segunda e mais recente versão é uma repaginada da versão de 1987. Com o mesmo título, começou a ser exibida em 2012 e pode ser encontrada facilmente no Netflix, atualmente se encaminha para sua terceira temporada. 

O diferente nesta adaptação é que a Fera não conta com feições de um animal, mas sim, feições humanas. Catherine também tem sua profissão trocada, tornando-se uma detetive. Beauty & the Beast é uma versão que mescla romance e o mundo do crime em Nova York.


Não posso e nem quero deixar de falar da adaptação mais conhecida de todas. A Bela e a Fera da Disney é uma animação capaz de ultrapassar as barreiras do tempo, tanto quanto o próprio conto original faz. Lançado em 1991, pessoas de diversas gerações já o assistiram. Eu assisti e tenho certeza que você também assistiu. Como falar em Disney é falar em música, o filme conta com uma trilha sonora magnífica que fica na cabeça. Minha adaptação favorita, é claro!


E aí, já assistiram a alguma dessas adaptações? O que acharam? Deixem suas opiniões nos comentários!

Um Comentário

  1. Oi Rebecca, como vai?

    Confesso que assisti ao primeiro filme, A Bela e a Fera, e eu sinceramente esperava bem mais do filme, confesso que gosto bem mais do filme em desenho do que dessa adaptação. Onde Upon a Time é uma série que eu MORRO de vontade de assistir e pretendo começar em breve, assim como Beauty And The Beast, que assisti alguns episódios e logo de cara amei a série. Beijos!

    Natália,
    http://obcecadapeloslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir