Com pipoca: O melhor de mim


Nos últimos dias, a minha rinite alérgica decidiu atacar e tirei um dia para ficar em casa. Acordei cedo demais e até arranjar forças para estudar, decidi assistir a algum filme no Netflix. Sabe como é, tem dias em que você simplesmente acorda com vontade de assistir um água com açúcar com direito a lencinhos de papel para conter as lágrimas. O filme escolhido foi O melhor de mim e apesar de, a princípio, não ter dado nada pelo filme, a história acabou me conquistando e fiquei daquele jeito, é, você sabe, hm, torcendo

Durante a adolescência, Amanda e Dawson se conhecem e se apaixonam um pelo outro. Dawson vem de uma família perigosa e o pai de Amanda não aprova o relacionamento da filha. Com o passar do tempo, os dois tomam rumos diferentes. Após vinte anos, a morte de um conhecido faz com que os dois se reencontrem. 

Baseado no livro homônimo de Nicholas Sparks, a história consiste na fórmula que o autor está cansado de repetir: um casal apaixonado, algo acontece e os dois se separam. No meio disso tudo, muito drama e diálogos capazes de deixar qualquer fã de romance encantado. Não sou de acompanhar o trabalho de Sparks, mas o que me chamou a atenção em O melhor de mim e que tornou esta história diferente de todas as outras que já li e/ou assisti do autor é o final. Sim, o final. Adoro histórias que trazem reviravoltas, mas a reviravolta em O melhor de mim é tão grande que nem parece ter sido escrita por Nicholas. Trata-se de uma reviravolta, como muitas, inesperadas, quase beirando a brutalidade, mas capaz de gerar no telespectador o efeito desejado. Genial!  

O filme mescla passado e presente. O passado mostra como Amanda e Dawson se conheceram e muitas cenas amáveis, como em todo filme de romance adolescente. O presente mostra o reencontro que, ao meu ver, foi muito mais interessante. Talvez seja culpa do elenco adulto que eu simplesmente adorei! As cenas que envolvem o presente têm um caráter muito mais delicado, ligeiro, maduro e com a melhor trilha sonora. 


Outro detalhe (fútil, porém não deixa de ser um): os figurinos de Amanda (principalmente a jovem). Apesar de se passar nos anos 90, acho que eu usaria o guarda-roupa inteiro da personagem de tão encantadores que são seus vestidos.  

Não irei mentir. Gostei e gostei muito, assisto quantas vezes for se estiver passando na televisão (o que estou cansada de fazer com meu xodó dos romances, Querido John). O filme conseguiu saciar e muito a minha carência por água com açúcar, além de ter me deixado com vontade de ler o livro. Quem sabe, com Black Friday vindo aí, eu não compre?

Enfim, O melhor de mim é um romance adorável e maduro. Recomendo a todos os românticos de plantão por aí. 

Share:

8 pessoas devoraram

  1. Olá!
    Eu sou apaixonada por esse livro, tenho ele autografado até! Mas confesso que nao sinto vontade de ver o filme, tenho medo das mudanças em relação ao livro, mas quem sabe num futuro eu de uma chance?
    Beijos, Tabatha
    http://aproveiteolivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Tabatha, que incrível deve ser ter um livro autografado por Sparks! Dê uma chance, eu sempre acho que vale a pena. ;-)

      Excluir
  2. Olá!
    Eu também estava a fim de filmes levinho (água com açúcar) quando resolvi assistir esse filme. Ia tudo muito bem, mas eu fiquei bem decepcionada com o final. Achei muito dramático - normalmente esse é minha opinião sobre sparks. Gostei bem mais de Um Porto Seguro, já assistiu?

    Beijos
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Erika! Sério? Eu também achei muito dramático, mas ao mesmo tempo, completamente imprevisível. Foi tão "uou" que deixa as pessoas perplexas. Já coloquei "Um Porto Seguro" na minha lista de filmes para assistir. :D

      Excluir
  3. Gente, quando li esse livro, chorei litros e mais litros. O filme não me agradou tanto porque achei os atores sem química.

    Beijos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Eu achei que os atores super tinham química! Principalmente o que fez o Dawson adulto. Nossa, ele realmente parecia estar apaixonado... Estou louquinha para ler o livro agora! =)

      Excluir
  4. Gostei muito do filme. Sabe aqueles dias em que você quer assistir um filme leve? pois é, é esse!

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do filme. Sabe aqueles dias em que você quer assistir um filme leve? pois é, é esse!

    ResponderExcluir