Com Pipoca: Ao Haru Ride (Blue Spring Ride)


Quem acompanha o blog, sabe que estudo japonês e que este é o meu idioma favorito entre os tantos e tantos que gosto, mas não é bem disso que pretendo falar neste post (quem sabe no futuro, né?). Hoje venho falar do anime (aquelas animações japonesas que todo mundo já assistiu quando era criancinha) Ao Haru Ride (traduzido para o inglês como Blue Spring Ride)! Não sou muito fã de animes atualmente, mas ora ou outra decido assistir um só para treinar um pouco mais de japonês e calhou do anime da vez ser justamente este: Ao Haru Ride

Yoshioka Futaba é uma garota charmosa e invejada por suas colegas de classe por atrair a atenção de todos os meninos com sua beleza. Mas Futaba não está nem aí para isso, ela detesta todos os tipos de garotos. Bem, todos menos Tanaka Kou, que acaba conhecendo em uma brincadeira de polícia-ladrão. A partir daí, um clima e romance que tem tudo - tudo! - para dar certo se inicia, mas só inicia mesmo, porque se desse certo, certamente não haveria história. Ao sofrer implicância por parte de um garoto de sua escola, Futaba perde a paciência e acaba dizendo em alto e bom som que odeia todos os garotos, o que ela não esperava é que Kou estivesse passando pelo corredor justo naquele momento. Não há tempo de se justificar devido a chegada das férias de verão e quando as aulas retornam, Futaba está disposta a explicar tudo a Kou, mas o mesmo já não estuda mais no mesmo colégio. Anos passam até que um dia, Futuba acaba se reencontrando, não muito por acaso, com seu primeiro e único amor. Porém, para sua surpresa, é Kou quem já não é mais o mesmo. E ela continua disposta a explicar o acontecimento de anos atrás, mas Kou deixa claro: ele não está ali para repetir a dose. 

Está certo que essas histórias de reencontros, erros e reviravoltas são as que mais se veem nos romances, e que se fosse levar em conta somente este fator, Ao Haru Ride não teria nada de diferente de muitas outras histórias que vemos por aí. No entanto, o modo como a história é bem desenvolvida, os traços do desenho, seus personagens que são mais incógnitas do que respostas, além de todas as cenas envolventes, sejam elas de comédia ou com ares mais românticos, são capazes de prender a atenção até mesmo do telespectador mais entediado. 


O sentimento de "não acredito que isso está acontecendo!" é mais do que presente neste anime. Embora o telespectador tente constantemente entender as ações dos personagens (principalmente  as de Kou), nem eles mesmos são capazes de compreender a si mesmos, o que torna este romance colegial em uma verdadeira montanha-russa. A trilha-sonora trás um gostinho e um prazer ainda maior de assistir, a começar por sua abertura, a típica musiquinha chiclete e até quem não sabe japonês vai querer cantar. 

Os personagens são uma graça, todos eles, mas não posso deixar de dizer como o casal principal deixa o telespectador aflito e cruzando os dedos. Os personagens secundários formam um núcleo engraçado e com mais ar de colegial para a história. Uma é doce e tímida, a outra já é mais fechada, o garoto que anima todo mundo, o professor que é gente boa, etc. 

A história, assim como muitas outras, é originada de um mangá homônimo que ainda não foi trazido para o Brasil. Mas pelo andar da carruagem, não demorará muito para chegar aqui. Afinal, Ao Haru Ride, anime e mangá, tem feito o maior sucesso no Japão, com direito a filme que será lançado ainda este ano e que pelos atores, já dá para criar a maior expectativa e imaginar o sucesso de bilheteria que será. 


Para os que não assistem animes, mas tem interesse em começar a assistir e que ainda por cima, são fãs de romances que deixam qualquer um cruzando os dedos, Ao Haru Ride é um ótimo começo. Ou para aqueles que já curtem animações com personagens de olhos grandes e cabelos coloridos (embora este não seja o caso de Ao Haru Ride), este anime é mais do que recomendável também. Leve, doce e carregado de emoções a todo momento, difícil é não se ver envolvido pela história. 

Onde assistir? AniTube com legendas em português. 

Share:

2 pessoas devoraram

  1. Oi queri,
    Infelizmente não sou ligada muito nesses animes...meu excelentíssimo e que adora inclusive acompanha vários desses...rsrs. Legal saber que gosta de japones, uma lingua bem diferente ne?
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu estou acompanhando o mangá e me dava muita raiva da Futaba, ela era muito indecisa. O Kou também me deixa bastante apreensiva, ele era bem confuso (meio que de um jeito fofo).
    Até agora eu não assisti anime, além do primeiro e segundo episódio. O motivo nem eu mesma eu sei, quando anunciaram o trailer do anime eu fiquei tão feliz, mas quando começou a lançar não estava mais tão empolgada.

    ResponderExcluir