É inegável o fato de que John Green tem conseguido um espaço cada vez maior não só nas livrarias, como também nas estantes dos jovens. A minha não é exceção, já li três títulos do autor (todos já resenhados aqui no blog). No entanto, dos três que li, A culpa é das estrelas é o que menos gostei apesar de ver muita gente dizendo o contrário. Por não ter gostado muito do livro e a história não ter me atraído tanto, não coloquei muita fé no filme nem mesmo após assistir o trailer. 

Só que me enganei. O ditado "o livro é sempre melhor que o filme" não se adapta muito bem a este caso, principalmente porque a adaptação cinematográfica de A culpa é das estrelas conseguiu superar, em muitos aspectos, o livro. Chega a ser estranho ter gostado mais do filme do que do livro. Talvez, por ter começado a ler com muita expectativa devido ao alvoroço em volta do livro. Mas quanto ao filme, não esperei nada de demais. 

Trata-se de um livro tocante e emotivo para muitos e toda essa emoção foi muito bem transportada para as telonas. O casal principal deu um toque mais vívido aos personagens de Green. Apesar da história abordar um tema delicado como o câncer, sempre gostei como o autor soube driblar de forma diferente o tema a ponto de não transformar o romance numa história triste, de superação ou na linha do clichê. Porém, o simples fato de se estar nas telonas, com pessoas dando vida aos personagens, levou os seguintes pontos a um outro patamar. A história adquire sim, em determinados momentos, um rumo mais triste e forte - arrancando as lágrimas dos telespectadores -, mesclando com cenas de cunho mais cômico ou até mesmo irônico, mas nunca atingindo o clichê de um "simples romance adolescente". 

O casal principal conseguiu me convencer. No início, tive minhas duvidas e pensei que muitos outros atores poderiam fazer melhor o papel de Hazel e Gus. Simplesmente porque não conseguia enxergar uma química entre Shailene Woodley e Ansel Elgort, pelo menos, não química suficiente para dar vida ao casal apaixonado. Porém, no fim, vi que não podia estar mais errada. Outros atores poderiam ter feito o casal? Sim, claro. Mas Shailene e Ansel caíram tão bem nas personalidades, gestos e atitudes de seus personagens, que tive de admitir o quão fofos ficam quando estão juntos e o quão bem fizeram seus papéis. 

O filme segue de forma fiel o livro e não me recordo de ter visto nenhuma mudança. Adquire um ritmo leve e bem fluído para os acontecimentos, seguido de uma trilha sonora que te deixa com vontade de ouvir tudo novamente. 

Mesmo para quem não se viu atraído pela história - eu sou um grande exemplo disso -, A culpa é das estrelas é um filme vívido e surpreendentemente, envolvente. Capaz de arrancar lágrimas, sorrisos, risadas e recordações do telespectador. Podendo te deixar, até mesmo, com um friozinho básico na barriga ao final. E se você sentir alguma dessas coisas, não se preocupe, são justamente as sensações que só um bom filme nos traz. 

5 Comentários

  1. adorei a resenha, e concordo com o que você falou. só discordo do fato que você ter dito que o filme se superou. não acredito que ele foi superado, até porque muita coisa foi tirada dele. mas acho que foi uma adaptação esplêndida, com o de mais importante e necessário visto lá.

    ResponderExcluir
  2. amei a resenha, mesmo tendo uma opinião diferente da sua, mas realmente, a trilha sonora é sensacional *--------------*

    ResponderExcluir
  3. É mesmo! Cada um tem a sua própria opinião.
    Não posso falar muito... Pois vi somente o filme!
    O livro ainda não li e não posso comparar muito.

    Mais se é o que dizem! Terei que ler primeiro para tirar minhas duvidas.
    Ass: Marcio Silva do deolhonaestante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha. Gostei de ACEDE, mas não o achei tão impressionante como andam falando. Se quiser visitar meu blog e me seguir:
    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/2014/05/livros-em-lista-sete-mulheres-que-as.html

    ResponderExcluir
  5. Ótima resenha. Quero aprender a fazer resenhas mais detalhadas assim (é que na verdade não tenho muita paciência, daí acabo resumindo o resumo da coisa que se passa no lugar que chamamos de 'meu cérebro'... rsrsrsrs)
    Eu li o livro e não gostei muito. Achei fraquinho. Talvez por que não seja muito meu estilo. Gosto de romances, mas não com linguagem adolescente, vamos dizer assim. rsrsrs. Não que eu não tenha gostado e tal. Acho que a mídia colocou muito "Noossa, esse livro é muito bom!" "Nossa, é o melhor livro!" "Nossa é lindo!" "Nossa, é tudo" Enfim... coisas em que não concordei.
    O filme eu ainda não vi... Mas acredito que seja melhor que o livro, porque a história não é ruim... Apesar de ser melancólica.

    ResponderExcluir